top of page

INCLUSÃO SOCIAL

Inclusão social nos esportes e turismo de aventura

Um olhar além das diferenças na busca pela igualdade

O esporte de aventura para pessoas com deficiência proporciona a oportunidade de testar seus limites e potencialidades, prevenir e atenuar enfermidades correlacionadas com a deficiência e promover a integração social do indivíduo.


Diversidade e inclusão são temas que estão cada vez mais presentes nas discussões da sociedade. Muitas organizações buscam se transformar em espaços que criam oportunidades e respeitam as singularidades de cada um.

No entanto, temos um longo caminho para trazer uma consciência mais ampla sobre os reais desafios e potencialidades das pessoas com deficiência.


Já parou para pensar como são os sentidos de uma pessoa com deficiência visual? Como ela se relaciona com o ambiente? Quais as barreiras que ela encontra na sociedade?


O Programa de Inclusão Social do CEU, nasce para sensibilizar as pessoas e instituições para o tema inclusão. Nosso objetivo é viabilizar a inclusão, com segurança, do deficiente para que ele possa compartilhar de jornadas de aventura.. Vamos utilizar nosso  conhecimento como guias de aventura para adaptar recursos operacionais e equipamentos de forma viabilizar a inclusão de  deficientes físicos em caminhadas, escaladas, remadas, ou seja em todas as atividades que forem viáveis o compartilhamento com deficientes físicos.

Pretendemos desmistificar a deficiência como limitação, através de jornadas intensas de aprendizado e inclusão. Queremos inspirar todos a desenvolver e exercitar todos os sentidos, saindo da zona de conforto e percebendo o mundo de uma maneira diferente.


Do mesmo modo, o programa busca inspirar e apoiar a divulgação e a oferta de atividades adaptadas e roteiros acessíveis no mundo outdoor, encorajando PCDs e até mesmo pessoas sem deficiência a usufruírem destes espaços.

Inclusão social nos esportes e turismo de aventura foi destaque na Adventure Sports Fair de 2018

De acordo com dados do último Censo Demográfico, realizado pelo IBGE em 2010, mais de 45 milhões de pessoas declararam ter algum tipo de deficiência, seja ela visual, auditiva, motora ou intelectual.


Representando quase 24% dos brasileiros à época, essa parcela da população motiva cada vez mais o investimento em políticas de acessibilidade para os mais diversos setores. Nestes setores estão esportes e turismo, ambas atividades são foco da Adventure Sports Fair. O evento se considera comprometido em atender a todos os interessados nas modalidades que unem vida ao livre e atividades outdoor. Para a edição de 2018 a organização se esforçou em reforçar o olhar de todos para a inclusão. Para isso ofereceu aos visitantes uma série de iniciativas para discutir e tratar as novidades que apontam caminhos para essa questão.




Temas ambiciosos foram abordados tais como: "planejar voos, hospedagens, bons e maus exemplos de destinos para quem está com algum problema de locomoção, foram incluídos também os que queriam viajar para praticar esportes de aventura como mergulho, rafting, maratona”. Foi alvo dos especialistas em Inclusão Social os “Esportes Radicais em Cadeira de Rodas”, e também, na ocasião, alguns DCFs dividiram experiências valiosas sobre esportes outdoor e adaptados com os presentes.


Veja mais


1

Inclusão social nos esportes e turismo de aventura

Um olhar além das diferenças na busca pela igualdade

bottom of page